Vídeo mostra policial militar arrastando burro amarrado a carro em Goiânia

Flagrante mostra animal arrastado, em Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera) O delegado afirmou ao G1 que o policial tinha ainda outros dois animais. Ele afirma que, preliminarmente, notou que todos os bichos estão bem cuidados e alimenta.

Segundo delegado, homem alega que levava animal para amarrar em árvore, depois que o bicho havia dado um coice nele; Polícia Civil apura maus-tratos.

Polícia Civil investiga um vídeo que mostra um policial militar de 54 anos arrastando um burro amarrado a um carro, em Goiânia. Na gravação, o homem aparece dando arranques no veículo, puxando o animal com violência (assista acima). De acordo com a corporação, o suspeito negou que teve a intenção de machucar o animal.

Segundo o delegado Luziano Carvalho, da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), o homem alegou que estava aplicando remédio no animal, que ficou agitado e deu um coice na cabeça ele. Por conta disto, o policial contou que amarrou o bicho no veículo para levá-lo até uma árvore, onde, segundo ele, o amarraria.

“Esta imagem demonstra esta crueldade, retrata uma prática de abuso, de maus-tratos, pondo-se em risco a saúde do animal. O policial militar disse que isto aconteceu porque o animal estava agressivo e tinha dado um coice, e por conta disso levaria ele pra ser amarrado num pé de pequi”.

“Mas o vídeo, por si só, revela a situação de maus-tratos. Foi uma reação desproporcional o que ele fez, ele levou o coice porque foi descuidado”, disse o delegado ao G1.

O vídeo chegou à polícia na última sexta-feira (6). Segundo o delegado, o homem foi identificado como um policial militar e foi intimado de imediato. A Polícia Técnico-Científica, além de veterinários da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) foram até o local e, conforme a corporação, colheram informações que serão reunidas em um laudo, que deve ser divulgado ainda nesta quarta-feira.

O assessor de comunicação da PM, o tenente-coronel Marcelo Granja informou ao G1 que a corporação está apurando a situação.

Fonte: G1

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.